Scroll Top

Livro de Teoria e Exercícios com Gabarito de Matemática

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Introdução às Escolas Literárias com foco no Enem

escolas literarias com foco no enem

Introdução às Escolas Literárias com foco no Enem possibilitará você ter conhecimento específico quanto às questões que mais constam na prova. Saiba os detalhes que precisa saber para se dar bem!

É bastante comum você se deparar com temas de Literatura citando as Escolas Literárias com foco no Enem. Não há como negar que sua importância é máxima tendo enunciados abordando os seus conteúdos. Você precisa estudá-las e aprendê-las para tirar uma nota boa.

E não adianta decorar o que cada época vivia, e sim tentar extrair aprendizados e compreensão apurada. Até porque o Enem exigirá que você relacione o período vivido tempos atrás com a área de conhecimento atual.

Então, essa habilidade não é originada se você apenas tentar decorar nomes, personagens, períodos (datas); é preciso saber interpretar e contextualizar para o atual cenário do mundo.

Como, por exemplo, saber identificar em que ano O Guarani foi escrito é importante sim bem como o seu contexto cultural e social, como viviam, pois certamente a realidade dessa época se diferencia da atual.

Porém, é essencial mais ainda relacionar esse saber com as áreas do conhecimento cuja competência é exigida pela banca examinadora. Por isso, você precisa fazer a relação com outras áreas para que possa obter um desempenho alto resultando em uma nota ótima.

É até um paradoxo porque embora haja diferenças entre o ano de 1857 (ano de publicação do O Guarani), mas em contrapartida muito do que se vivia lá pode ser notada em alguns traços hoje em dia. Até porque os seres humanos são os mesmos. O que muda são as épocas.

O Guarani e O Cortiço – Dois textos, duas épocas

Aqui no Gênio do Enem você terá uma pequena ilustração ao que representa as Escolas Literárias com foco no Enem e porque elas fazem parte das provas no Enem.

É certo que essas escolas marcam uma época, detalham um momento na história e, assim, é possível identificar suas características nitidamente.

Peguemos como modelo um livro como o Guarani e O Cortiço. Foram escritos em épocas distintas e que retrata um modelo de mulher totalmente avesso.

Se você já leu irá notar que a mulher descrita em O Guarani cujo autor é José de Alencar se apresenta diferente da que é descrita em O Cortiço, de Aluísio Azevedo.

Enquanto que a mulher do O Guarani é caracterizada como uma linda moça pura e delicada, a de O Cortiço é selvagem e devastadora. Poderíamos dizer que se trata apenas de dois textos diferentes escritos por autores diferentes, mas algo que realmente irá diferenciá-los é que foram escritos em épocas distintas.

O Guarani foi publicado em 1857 e seu estilo está muito ligado à literatura da primeira metade do século XIX. Já o Cortiço saiu em primeira edição em 1890 vinculando-o às características literárias da segunda metade do século XIX.

O que você precisa ter em mente diante do que foi explanado até aqui é o fato de que existem mudanças nas manifestações artísticas porque todo escritor é influenciado pelos valores em que ele vive. Portanto, irá desenvolver sua obra mediante sua visão dentro desse cenário.

Um homem do Renascimento não pensa da mesma forma que alguém que viveu no auge da Reforma, que por sua vez não compartilha as mesmas ideias de um iluminista, e assim por diante.

Esse fato comprova que é justamente nesse ponto que as Escolas Literárias com foco no Enem desempenham um importante papel para o entendimento de cada época, povo e ambiente sócio-cultural. É preciso valorizar cada um até para compreender o que hoje se vive.

A História está em constante mudança!

O Gênio do Enem agora dará um breve relato sobre a importância da História no contexto das Escolas Literárias com foco no Enem. A história sempre marcou o homem e está inserida em seu dia a dia. Não há como discorrer sobre Literatura sem a contribuição dessa área de conhecimento expressiva!

Como a História está em constante mudança, o que equivale a dizer as formas de enxergar a realidade se alteram continuamente. É um processo inacabado onde as manifestações artísticas são amplamente influenciadas. Assim como a História, elas também constantemente sofrem mudanças.

Leia este pequeno trecho de Luís de Camões sobre mudança:

“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. Muda-se o ser, muda-se a confiança. Todo mundo é composto de mudança. Tomando sempre novas qualidades”

Você pode observar que o primeiro verso demonstra a ideia de que as mudanças do contexto histórico (tempos) implicam em mudanças de valores ideológicos (vontades), o que acaba por provocar mudanças nas manifestações artísticas.

É mediante essas mudanças que se originam as Escolas Literárias. Cada época representa uma mudança da anterior e estas vão se mostrando diferentes em muitos aspectos e em suas características.

Agora que você já compreendeu como as Escolas Literárias são importantes para o estudo da História refletindo a sua época, você terá uma pequena introdução sobre elas.

Introdução às Escolas Literárias com foco no Enem

Os escritores que viveram numa mesma época, por estarem influenciados pelos mesmos valores ideológicos, têm uma tendência a possuir características literárias mais ou menos parecidas.

Você pode notar que essa reunião de escritores com traços bem semelhantes dá origem ao que se pode chamar de estilo de época ou escola literária.

Dentre as escolas literárias com foco no Enem pode-se citar:

  • Classicismo, Barroco, Arcadismo, Romantismo, Realismo, Naturalismo, Simbolismo e Modernismo.

Cada uma dessas escolas literárias está associada a um determinado momento histórico, e os escritores que pertencem a elas apresentam características literárias em comum.

Um ponto que vale a pena salientar quando você estiver estudando para o Enem é que apesar dessas escolas literárias permitirem atribuir características a uma obra por ela ter sido produzido numa determinada época, nem sempre garante interpretá-la corretamente.

Isso porque não basta somente saber a época da produção de um texto. Na verdade, quando você diz que um escritor vincula-se ao Romantismo, por exemplo, não significa que toda a sua obra apresente exatamente as características desse período.

Assim, tenha em mente fixamente que ser romântico significa pertencer a uma determinada época e estar sob a influência de determinadas ideologias. Porém, esse fato não exclui a possibilidade de um escritor do Romantismo apresentar, em alguns momentos, traços e características do Realismo ou Classicismo.

Saiba que ao ler um trecho de um texto ou livro veja sempre a predominância da Escola Literária com foco no Enem a qual ele se encaixa. É a proporção maior que define em qual época e contexto esse autor e obra está inserido.

Quando se vincula um autor a uma Escola Literária com foco no Enem se faz necessária conhecer com precisão a influência histórica recebida na obra pela qual foi produzida.

Mas, ela apenas sugere uma possibilidade de leitura na obra, já que, como dissemos, um escritor pode apresentar traços de mais de um movimento literário.

Resumo das Escolas Literárias e suas características

Abaixo Gênio do Enem lhe fornecerá um pequeno resumo das Escolas Literárias e suas características a fim de que possa ter um conhecimento prévio de cada uma e, assim, poder fazer uma prova melhor.

É claro que você tem que buscar aprofundamento nos conceitos, estudar com mais afinco os autores e suas obras. Mas, aqui pelo menos você terá um esquema que pode criar em sua mente para fixar quando um enunciado propor algum tipo de escola. Daí, a lembrança vem em sua mente, sem confusão nenhuma!

1 – Classicismo

  • A Era Clássica compreendeu os séculos XVI, XVII e XVIII e teve sua origem na Itália.
  • O nome desse movimento vem da palavra classe que identifica como algo de qualidade elevada.
  • O Classicismo quis recuperar a classe dos autores antigos e, para isso, fez renascer a tragédia, comédia, elegia e a ode (muito redigida por gregos e romanos).
  • Também imortalizou outras formas poéticas como o soneto e a medida nova.

2 – Barroco

  • Período final do século XVI e meados do XVIII
  • Desenvolveu dualidade estilística: o conceptismo e cultismo
  • É repleto de figuras de linguagem da oposição como antítese e paradoxo
  • Obra considerada como início do Barroco no Brasil foi de Bento Teixeira Pinto com a Prosopopeia.

3 – Arcadismo

  • Também conhecido como Neoclassicismo surgindo em 1756 com a Fundação da Arcádia Lusitana (Portugal). No Brasil, o movimento se inicia em 1768 por Claudio Manoel da Costa.
  • Defende a vida campestre como fuga da cidade a fim de proporcionar solução mais equilibrada e serena.
  • Procura estabelecer a vida simples, no campo em sentido figurativo, equilibrada
  • Bocage foi o grande precursor do Arcadismo

4 – Romantismo

  • Nasceu no final do século XVIII, primeiro na Alemanha e depois na Inglaterra
  • Chegou à França no início do século XIX e de lá foi explorado para outras regiões do mundo
  • Passa a valorizar a emoção e a rebeldia diante das tradições
  • Persegue sobre a originalidade
  • O termo Romantismo deriva de romantic, palavra que, nos dialetos germânicos medievais, designava as novelas de cavalaria e, por extensão, o espírito aventureiro das Cruzadas.
  • O Romantismo se estrutura em 3 bases ou pilares: Nacionalismo, liberdade e individualismo
  • Nacionalismo: naturismo, retomada dos heróis medievais, panteísmo, indianismo e regionalismo
  • Individualismo: egocentrismo, sentimentalismo e subjetivismo
  • Liberdade: culto do sonho e da imaginação, desrespeito às regras clássicas de composição, escapismo espacial e temporal

5 – Realismo

  • Surgiu nas últimas décadas do século XIX na Europa, especificamente, na França
  • Teve reação ao Romantismo retirando a emoção e sobrepondo a razão
  • Primeiro marco do Realismo com o romance realista da Madame Bovary (1857), de Gustave Flaubert.
  • A característica mais marcante do Realismo é o seu antiromantismo, anti sentimentalismo
  • Agora é mostrar a realidade, observar, exalta a objetividade
  • O contexto histórico do Realismo: 2ª Revolução Industrial, Segundo Reinado (Dom Pedro II), Capital do Rio de Janeiro, Abolição da Escravatura (1888) e Proclamação da República (1889)
  • Valores do Realismo: engajamento social e político, novas ideologias, retrato fiel da sociedade, teorias científicas, críticas às Instituições, a Literatura transforma a realidade
  • Principais autores influentes: Gustave Flaubert, Honoré de Balzac, Charles Dickens, Eça de Queirós, Stendhal e Zola, Dostoiéski.

6 – Naturalismo

  • Final do século XIX. Pode ser considerado como seguimento do Realismo tendo algumas semelhanças e pequenas diferenças.
  • Mesmo contexto histórico do Realismo
  • Características do Naturalismo: objetividade, verossimilhança, descritivismo, razão, observação e análise, universalismo, retrato fiel das personagens.
  • Autor naturalista dessa época é Aluísio de Azevedo que traz para essa escola literária o romance de tese e/ou experimental, instinto, coletivo, patologias e homossexualidade. Sua obra bem conhecida como naturalista é o Cortiço.

7 – Simbolismo

  • Final do século XIX sendo anti parnasianístico. Retorno à subjetividade.
  • Aparecimento de figuras de linguagem diferente. Embora traga o romantismo e sua estrutura, mas o simbolista aprecia sugestões, nada muito direto e sim possível de ser imaginado
  • Característica do Simbolismo: subjetividade, reação ao parnasiano, musicalidade, irracional/vago, mistério/místico/espiritual, efeito de sugestão
  • Os autores influentes nessa época são: Charles Baudelaire, Arthur Rimbaudi, Stéphane Mallarmé, Paul Verlaine. São conhecidos como poeta malditos.
  • Cruz e Souza aparece destacando alguns aspectos como: sofrimento, cor branca, erotismo, espiritualidade, condição humana
  • Outro autor importante dessa época é Alphonsus de Guimaraens que traz: morte da noiva, religiosidade, dor, paisagem, o inefável

8 – Modernismo

  • É dividida em 3 fases ou gerações: Destruição é a primeira; Reconstrução é a segunda e Introspecção é a terceira fase.
  • A primeira fase compreende entre 1922 a 1930 (Semana da Arte Moderna) destacando destruição. Seu contexto histórico se baseia: crise econômica, revolta tenentista, fundação do partido comunista, São Paulo como centro econômico e cultural. Características dessa primeira fase: experimentalismo, pesquisa estética, rompimento do acadêmico, rompimento com as estruturas do passado, busca do original/polêmico.
  • A segunda fase compreende entre 1930 a 1945 (Poesia Moderna e Romance de 30) destacando a reconstrução. Seu contexto histórico se baseia: Revolução de 30 (Getúlio Vargas), Revolução Constitucionalista, Terceiro Reich (Hitler), Guerra Civil Espanhola, Segunda Guerra Mundial, bombas atômicas. Características dessa segunda fase: literatura politizada e engajada, amadurecimento, denúncia da opressão, questões ideológicas, interpretar o eu no mundo, intimismo/espiritualismo, busca da verossimilhança, questionamento da realidade, verso livre e poesia sintética.
  • A terceira fase compreende entre 1945 até os dias atuais (Social/Introspecção) destacando a Introspecção. Ela é conhecida como Literatura Contemporânea ou Geração de 45. Seu contexto histórico se baseia em Tribunal de Nuremberg, Mao-Tse-Tung (China), Revolução Cubana (Fidel e Che), Fim do Regime de Vargas, legalidade dos partidos políticos, Regime militar. Características dessa terceira fase: literatura/instrumento, regionalismo universal, problemáticas sociais, busca da verossimilhança, tendências intimistas, sondagem psicológica.

Você aprendeu sobre as escolas literárias com foco no Enem de maneira bem resumida e esperamos que tenha gostado desse conteúdo. Se quiser, deixe seu comentário abaixo!

Caso queira aprender outra área para estudo como matemática e ainda ganhar um curso de português, redação, física e química, então, conheça o Curso Gênio da Matemática e adquira tudo isso!

960x171-anuncio-blog-genio

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: